#AT19 – Manejo Agroecológico dos Solos

Manejo Agroecológico de los suelos

Dia 12 | 14h00 – 17h00 | GUEROBA | #Agroecologia2017

Responsável(is): Fernando Dini Andreote (ESALQ-USP); Manoel Baltasar Baptista da Costa (Universidade de Araraquara); Ednaldo da Silva Araújo (Embrapa); Suzi Huff Theodoro (UnB); Maurício Rigon Hoffmann (Produtor Rural); Coordenadora: Vania Pimentel (IF-Brasília)

Arquivos:

Apresentação Manoel Baltasar

Apresentação Fernando Dini

Relato:

Relatora: Vania Costa Pimentel (IFB).

Os participantes desta mesa foram: Manoel Baltasar Baptista da Costa (Universidade de Araraquara-SP), Fernando Dini Andreote (ESALQ/USP), Ednaldo da Silva Araújo (EMBRAPA – Agrobiologia), Suzi Huff Theodoro (UnB), Maurício Rigon Hoffmann (Agricultor) e Vania Costa Pimentel (IFB).

A coordenadora da mesa Vania Pimentel iniciou chamando Paula Lima, estudante do IFB do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia para fazer a declamação de um poema sobre o solo. Em seguida deu as boas-vindas aos participantes dizendo da importância atual deste tema, em um momento que a Agroecologia está sendo amplamente divulgada, muitas vezes sendo apresentada erroneamente como substituição de técnicas e insumos, trazer o solo e sua complexidade para se pensar a agroecologia com um olhar mais holístico e sistêmico é fundamental, como tratado no poema. Em seguida foram apresentados e chamados os membros da mesa para suas intervenções. 

Manoel Baltasar Baptista

Baltasar trouxe uma leitura ecológica, energética, econômica e social do solo. O solo como base de sustentação da vida. Ressaltou a importância do solo e da preservação da natureza, da importância da água para o solo e do olhar e cuidado com o ambiente como todo e não só olhar para o solo como se fosse terra apenas. Ciclo de carbono, ciclo de nitrogênio, ciclo do fósforo, e sua importância para o clima tropical. Falou sobre a necessidade premente de cobertura do solo, seja cobertura verde ou morta. A agricultura industrial tem causado muita perda, degradação e contaminação do solo, seja por meio da erosão, uso intensivo de máquinas e agrotóxicos. 

Fernando Dini Andreote:

Seu tema principal foi a vida no solo e a sua importância para o desenvolvimento das plantas, abordou sobre a biologia do solo, a importância da biodiversidade como fator determinante da fauna do solo, a conexão entre as plantas e os organismos do solo. Fez uma comparação sobre a biodiversidade de microorganismos no solo e no corpo humano. 

Ednaldo Araújo:

Pesquisador da Embrapa Agrobiologia apresentou práticas agroecológicas no manejo agroecológico de solos. E sobre as recentes pesquisas neste campo. Falou da importância em se explorar o solo em diversas profundidades para um melhor resultado. Utilização de quebra ventos, consorciação com leguminosas, importância de se utilizar de diferentes práticas de manejo ecológico de solos.  Apresentou diferentes práticas de manejo e conservação de solo.

Suzy Theodoro:

Iniciou dizendo que o Brasil é altamente dependente de fertilizantes advindo de fontes não renováveis. Apresentou a remineralização com pó de rocha como alternativa  para o rejuvenescimento do solo. 

Maurício Hoffmann:

Apresentou a sua fazenda e as atividades com agrofloresta que desenvolve. Afirmou já ter obtido resultados positivos com a agrofloresta que possui, já conseguiu reestabelecer nascentes, utiliza de conceitos da sucessão natural e dos princípios de manejo da agrobiodiversidade, o que vem proporcionando o retorno da fertilidade dos solos em sua fazenda. 

Após a apresentação dos palestrantes foi aberto para perguntas dos participantes, e em seguida os palestrantes puderam interagir com os  temas solicitados nas perguntas. 

Questões que foram respondidas pela mesa:

Em relação ao uso de Microorganismos eficazes  (EM) para o manejo do solo, alguns dos palestrantes já utilizou em para o enriquecimento do solo ou conhecem pesquisas que comprovem a eficiência deste biofertilizante?

Como a utilização intensiva de fertilizantes minerais influencia no processo de decomposição da matéria orgânica do solo?

A vegetação determina o microbioma ou o contrario? Não é mutua a relação?

Quais os impactos do revolvimento do solo com aração e gradagem? O que os palestrantes acham?

Facilitação Gráfica:

*** Participe da construção da memória do congresso! Registre suas impressões e sugestões no campo de comentários abaixo. ***

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Publicado por

Soraia

Pessoa criativa

Deixe uma resposta